Por Gustavo Martins-Coelho

No eixo das abcissas, encontra-se a produtividade dos países da OCDE em 2012, medida em Produto Interno Bruto (dólares americanos a preços correntes) por hora de trabalho realizado.

No eixo das ordenadas, encontra-se o salário médio dos países da OCDE em 2012, medido em paridade de poder de compra (dólares americanos a preços constantes de 2012) por hora de trabalho realizado.

Na sequência das declarações de Belmiro de Azevedo [1], o gráfico mostra que, em 2012, o salário médio na Alemanha era de $30,24/h, enquanto o salário médio em Portugal era $13,66/h; e que a produtividade alemã era de $58,30/h, enquanto a produtividade portuguesa era de $34,00/h. Em média, os Alemães produziam por hora 1,7 vezes mais e ganhavam por hora 2,2 vezes mais do que os Portugueses. Destes dados resulta que, para estarem, proporcionalmente, ao nível salarial dos Alemães, os Portugueses deveriam ganhar, em média, mais 29%, sem precisarem de aumentar a sua produtividade.

Os dados utilizados na construção deste gráfico provêm da base da OCDE [2].

Anúncios