Por Gustavo Martins-Coelho

2015061200

O Pew Research Center inquiriu os cidadãos de 39 países sobre se tinham uma opinião favorável ou desfavorável em relação aos EUA e à China. No mapa acima, os países em que a percentagem de respondentes que referiu uma opinião favorável em relação aos EUA excedeu a daqueles que disseram o mesmo sobre a China entre  6 a 20 % estão marcados a azul claro; uma diferença entre 21 e 35 % está marcada a azul médio; e o azul escuro representa os países em que a opinião favorável relativamente aos EUA excede a da China em mais de 35 %. Os tons de vermelho representam, na mesma escalar, uma opinião mais favorável em relação à China do que em relação aos EUA. Os países pintados a lilás são aqueles em que a mesma proporção de respondentes indicou uma opinião favorável em relação aos dois países. Note-se que estas diferenças de percentagem nada dizem em relação às percentagens absolutas de opiniões favoráveis para cada país. Por exemplo, a Nigéria e a Turquia favorecem levemente a China, mas a Nigéria é altamente favorável a ambos os países, enquanto a opinião turca é maioritariamente negativa em relação aos dois.

Os EUA são mais populares entre os seus aliados europeus, africanos e asiáticos; já a China não tem grande popularidade entre os seus, sobretudo por se tratar de alianças recentes. Os países muçulmanos preferem a China, mais por força da opinião desfavorável relativamente aos EUA do que por uma genuína apreciação da China. Quanto ao Sudeste asiático, não se aproxima da China, nem dos EUA. Já a África gosta de ambos, com uma ligeira preferência pelos EUA. Na América Latina, as feridas da política americana da Guerra Fria ainda se fazem notar.

Anúncios