Por Gustavo Martins-Coelho

2015072800

Quando vista, por exemplo, nos mapas do Google, a Gronelândia parece um enorme deserto nevado. No entanto, tal não passa duma ilusão. Como, ao contrário do que alguns ainda acreditam, a Terra é uma esfera, a sua representação numa superfície plana, como o monitor dum computador, obriga à sua deformação.

Há vários métodos para isso, cada um com as suas vantagens e desvantagens. A cartografia do Google usa um método semelhante à projecção de Mercator [1], que tem como desvantagem a introdução de distorção na imagem: quanto mais nos afastamos do Equador, maiores as coisas parecem. A Gronelândia, como está numa latitude muito a Norte, sofre particularmente este efeito. No mapa acima, aparece representada com o seu real tamanho, ao nível do Equador.

O mapa é da autoria do Jakub Marian [2] e aqui reproduzido com a sua permissão.

Anúncios