Por Gustavo Martins-Coelho

Gustavo Martins-Coelho: O excesso de peso e a obesidade são um problema grave, que afecta muitos Portugueses e já foi aqui [1] abordado; mas faltou falar duma coisa: as crianças. Quero com isto dizer que a obesidade é um problema que afecta tanto os adultos como as crianças: de facto, uma em cada três crianças portuguesas tem excesso de peso. Isto está muito relacionado com o consumo de fast-food, de doces e de refrigerantes; com a proverbial aversão às frutas, aos legumes e à sopa que as crianças demonstram desde pequeninas e que os pais não se preocupam em contrariar; e com a falta de actividade física — as crianças vão para a escola de carro, passam o dia sentadas nas aulas, com curtos intervalos, e vão para casa fazer os trabalhos e brincar no computador e na consola, sentados no sofá ou no quarto.

Em face disto, uma equipa liderada pela professora Doutora Isabel Loureiro, da Escola Nacional de Saúde Pública, em Lisboa, desenvolveu o Papa Bem [2], para ajudar os pais a promover o crescimento saudável dos seus filhos. A professora Isabel Loureiro está hoje aqui comigo; agradeço-lhe ter aceite o convite e diga-me: é assim, como acabei de dizer?

Isabel Loureiro: Nos últimos anos, assistimos a um aumento assustador da prevalência da obesidade em crianças e adultos. A Organização Mundial de Saúde considera a obesidade uma epidemia mundial. Em Portugal, a obesidade infantil tem merecido grande atenção, nomeadamente pelos dados assustadores de prevalência: entre dezoito países europeus, Portugal é um dos quatro países com prevalência mais alta de excesso de peso aos quatro anos. Esta doença tem implicações muito negativas tanto para o bem-estar dos indivíduos como para a sociedade. Destas, salienta-se a incidência, ainda na infância, de algumas doenças que eram comuns somente em adultos, como a tensão arterial alta e o colesterol elevado. Uma grande preocupação em torno da obesidade é o facto de ser uma doença de difícil tratamento que, uma vez que surge, tende a permanecer ao longo da vida. Por isso, as recomendações internacionais indicam que a prevenção é a melhor aposta no combate à obesidade.

Gustavo: E o Papa Bem aposta na prevenção, correcto?

Isabel: O Papa Bem é um programa que nasceu da necessidade de apoiar a sociedade a fazer face a este problema, disponibilizando informação credível, fundamentada em evidência científica sólida. O Programa Papa Bem constitui uma abordagem à obesidade infantil e pretende disponibilizar à população informação credível, baseada na evidência científica mais recente, de forma simples e verdadeiramente centrada nas necessidades dos indivíduos.  Foi concebido no âmbito do programa Harvard Medical School – Portugal sob a coordenação da Escola Nacional de Saúde Pública. O programa Papa Bem foca-se no período compreendido entre a gravidez e a idade pré-escolar, seguindo a evidência científica mais recente no que se refere à prevenção da obesidade infantil. Sabemos hoje que algumas condições que ocorrem durante a gravidez e os primeiros anos de vida podem aumentar a tendência de uma criança para ganhar peso. Este é um período crítico para a regulação do metabolismo da criança. Por outro lado, os hábitos de alimentação e actividade física e sono, fundamentais para o controlo da obesidade, são bastante estabelecidos nesta etapa.

Gustavo: E a quem se destina?

Isabel: O programa adopta uma abordagem ecológica do problema, que enfatiza a importância dos contextos em que a criança cresce e se desenvolve. Assim, os conteúdos produzidos dirigem-se fundamentalmente a pais, futuros pais e outros cuidadores de crianças pequenas. A nossa aposta é contribuir para a tomada de consciência dos adultos em relação ao problema do excesso de peso e ao importante papel que desempenham no combate a esta verdadeira epidemia que é a obesidade infantil. O que queremos é apoiar pais e cuidadores para que proporcionem às crianças ambientes favoráveis a um desenvolvimento saudável.

Gustavo: Para terminar, pois o nosso espaço está a esgotar-se, como podem as pessoas aceder a mais informação sobre o Papa Bem?

Isabel: A informação pode ser acedida em: http://www.papabem.pt.

Gustavo: Muito obrigado pela sua presença e até para a semana, para falarmos um pouco mais detalhadamente sobre alguns dos factores que o Papa Bem aborda e deixarmos ficar algumas mensagens aos pais e aos educadores.

Advertisements