Por Jarrett Walker [a]

Um bom artigo [2], publicado no «Greater Great Washington» [3], sobre os corredores bus prioritários de Washington DC fez-me lembrar uma velha questão sobre a palavra «expresso»:

A Metro está a trabalhar no sentido de desenvolver «corredores bus prioritários» [4], com autocarros expresso que passam com mais frequência e são mais rápidos e mais fiáveis do que o serviço actualmente existente.

O que significa «expresso», nesta frase? Não é claro, mas parece ser o significado quotidiano da palavra: «rápido, com uma pitada de modernidade, em comparação com o serviço local».

Tal como a maioria dos peritos em transporte colectivo, eu uso a palavra «expresso» num sentido mais preciso, como um dos três tipos de paragens padrão que parecem abranger os serviços de transporte colectivo de maior sucesso:

2015091000

  • Local significa parar frequentemente ao longo de toda a linha. Os serviços locais são desenhados com base no princípio de que, se o passageiro estiver num ponto do percurso da linha, deverá estar muito próximo duma paragem. As paragens deste serviços estão geralmente a não mais de 400 metros de distância entre si e, muitas vezes, muito menos. Como este é o serviço que pára mais vezes, é caracteristicamente lento. Os autocarros e eléctricos locais geralmente cabem nesta categoria.
  • Rápido significa parar em paragens espaçadas, mas com um padrão regular. O espaçamento é normalmente de, pelo menos, 800 metros, às vezes mais, mas é um espaçamento bastante regular, ao longo da linha. Estes serviços servem para ligar os nós da rede, muitas vezes centros urbanos e pontos de transbordo entre linhas, com um serviço razoavelmente rápido. Não é objectivo destes serviços estar disponível em todos os pontos da linha, embora alguns forneçam um serviço de qualidade suficientemente alta para fazer valer a pena caminhar a pé alguma distância até à paragem mais próxima. A maioria dos metropolitanos e dos metros ligeiros são deste tipo. A nova geração de serviços de autocarros rápidos, que tenta mais ou menos emular o transporte ferroviário, geralmente também funciona desta maneira.
  • Expresso, nestes termos, realmente significa «servir um longo segmento sem paragens». O autocarro expresso clássico pode fazer serviço local numa parte do percurso, mas tem depois um longo segmento, talvez numa auto-estrada, onde não pára de todo. Um exemplo comum são os serviços de autocarros expresso da hora de ponta, que vão dum park-and-ride suburbano para o centro, ou dum bairro para uma escola distante. As linhas ferroviárias suburbanas também muitas vezes oferecem segmentos expresso durante a hora de ponta.

A razão de eu usar as palavras desta maneira é que, escondido dentro desta distinção entre padrões de espaçamento entre paragens está uma outra, muito importante, sobre a frequência. Rápido e expresso são ambas formas de chegar mais depressa do que com um serviço local, mas o rápido presta-se a alta frequência de operação durante todo o dia, enquanto o expresso não.

Durante a hora de ponta, as pessoas fluem em massa numa direcção, ao mesmo tempo, e os serviços expresso à hora de ponta são muitas vezes o resultado desse movimento. Mas, se quisermos serviço capaz de sustentar a vida duma cidade, queremos um serviço durante todo o dia e, para isso, o padrão de paragens rápido, mais versátil, será mais provavelmente útil.

A distinção no padrão de espaçamento entre paragens, por sinal, é também a única distinção significativa entre eléctricos e metro ligeiro. Eles usam praticamente a mesma tecnologia, mas o metro ligeiro geralmente significa um padrão de paragem rápido, enquanto o eléctrico significa local.


Nota:

a: Este artigo foi traduzido do original [1] pelo editor chefe (n. do T.).

Anúncios