Por Carlos Lima

Carlos Lima: Cuidar dos nossos dentes deve ser uma preocupação diária, ao longo de toda a vida. Existem, no entanto, alguns momentos decisivos para prevenir o aparecimento de cáries. Para falarmos sobre o cheque-dentista, temos connosco a dr.a Rita Queirós, higienista oral do Centro de Saúde de Estarreja. Rita, a quem se destina o cheque-dentista?

Rita Queirós: O cheque-dentista para crianças e jovens, no ano lectivo 2014/2015, destina-se a todas as crianças e jovens que frequentem as escolas do concelho de Estarreja, nascidos nos anos de 2007 (7 anos); 2004 (10 anos) e 2001 (13 anos). Para crianças e jovens, existem três tipos de cheques-dentista: saúde infantil, idades intermédias (via médico de família) e crianças e jovens (via saúde escolar).

Hoje, vamos falar apenas dos cheques-dentista para crianças e jovens via saúde escolar. Estes cheques têm validade até ao dia 30 do mês de Outubro de 2015.

Carlos: Como posso obter o meu cheque-dentista?

Rita: A escola deverá entregar o cheque-dentista, às crianças abrangidas, durante o ano lectivo. No entanto, se tiver perdido o cheque, pode dirigir-se ao Centro de Saúde de Estarreja e solicitar à administrativa da Saúde Pública que lhe emita uma segunda via do documento.

Carlos: Onde posso utilizar o meu cheque-dentista?

Rita: O cheque pode ser utilizado em qualquer clínica ou médico dentista aderente ao programa. Para saber quais os médicos e clínicas aderentes, poderá consultar a lista no microsite da saúde oral da Direcção-Geral da Saúde [1], ou solicitar informação na sua unidade de saúde.

Carlos: Que tratamentos podem ser realizados com o cheque-dentista?

Rita: Dependendo da idade, a criança tem direito aos seguintes tratamentos:

  • 7 anos: tratamento ou protecção (selantes de fissura) dos primeiros molares permanentes; destartarizações (limpeza dentária); aplicações tópicas de flúor e orientações sobre hábitos de saúde oral;
  • 10 anos: tratamento ou protecção (selantes de fissura) dos dentes pré-molares e dos primeiros molares permanentes; destartarizações (limpeza dentárias); aplicações tópicas de flúor e orientações sobre hábitos de saúde oral;
  • 13 anos: tratamento ou protecção (selantes de fissura) dos segundos molares permanentes, dentes pré-molares e primeiros molares e orientações sobre hábitos de saúde oral.

Carlos: A quantos cheques tenho direito?

Rita: Dependendo do número de dentes com necessidade de tratamento aos 7 e 10 anos, a criança poderá ter direito até dois cheques-dentista e, aos 13 anos, até três cheques. Os segundos e terceiros cheques-dentista são emitidos pelo médico dentista. Estes cheques não permitem o tratamento de dentes temporários («dentes de leite»).

Carlos: Quanto tenho de pagar?

Rita: Nada. O pagamento é o cheque-dentista que entrega no consultório médico. Não pode ser cobrado outro valor no âmbito deste programa.

Carlos: Qual a validade do cheque-dentista?

Rtira: Estes cheques têm de ser utilizados até ao dia 30 deste mês, não sendo possível a sua utilização após esta data. Não perca esta oportunidade! Caso não utilizem este cheque, perdem o acesso aos cheques-dentista intermédios.

Carlos: A quem se destinam os cheques-dentista intermédios?

Rita: Os cheques «idades intermédias» destinam-se a crianças de oito, nove, onze, doze, catorze e quinze anos, anos que completaram tratamento com o cheque dentista «crianças e jovens» no ano anterior (recebido via Saúde Escolar), mas que apresentam novamente cáries nos dentes definitivos. Têm direito a um único cheque, que permite o tratamento de até dois dentes. Estes cheques são emitidos pelo médico de família.

Carlos: Gostaria de deixar uma nota final?

Rita: Para finalizar, gostava de relembrar que só podem utilizar o cheque até ao dia 30 deste mês; não deixem de o fazer, pois, além de perderem o acesso aos cheques-dentista intermédios, é a saúde oral dos vossos filhos que está em causa. Lembrem-se de que os dentes definitivos, ou permanentes, têm de durar a vida toda!!!

Carlos: O nosso obrigado à dr.a Rita Queirós.

Saúde!

Anúncios