Por Gustavo Martins-Coelho

Eu conseguia viver com a vizinha e com a desorganização e falta de controlo do serviço do Meo [1]. Mas não consigo viver com a carta.

No rescaldo da história que contei na quinzena passada [1], recebi a seguinte carta do Meo:

Caro(a) cliente,

Começamos mal. O Meo não sabe se eu sou homem ou mulher. O Meo falhou as suas obrigações contratuais para comigo e, na carta que me enviou a esse propósito, nem sequer se deu ao trabalho de saber se estava a desculpar-se junto dum homem ou duma mulher. Pode haver um pedido de desculpas mais hipócrita do que aquele em que quem errou e pede desculpa nem tem a preocupação de saber junto de quem está a desculpar-se??

Sabemos que recentemente não correspondemos inteiramente às suas expectativas e, por isso, queremos compensá-lo […]

Está a melhorar. Pelo menos, o Meo tem consciência de que o seu serviço não correspondeu às expectativas do cliente e pretende compensá-lo por isso.

— Vem aí a oferta duma mensalidade — pensei eu. Mas, depois, lembrei-me daquela amiga a quem a Vodafone, para a compensar de algo semelhante ao que aconteceu cá em casa [1], resolveu oferecer uma mensalidade — que já era gratuita, fruto duma outra promoção de que ela se encontrava a beneficiar na altura! Então, baixei as expectativas e continuei a ler.

[…] durante 6 meses, poderá utilizar o serviço Meo Go Multi, gratuitamente.

Meo Go Multi?? O que é isto, ao certo? Continuei a ler a carta.

Com este serviço pode ver os melhores conteúdos de televisão no seu tablet, smartphone e PC em qualquer lugar do país, com ligação à Internet.

O Meo, além de não saber se eu sou homem ou mulher, assume imediatamente que eu tenho um telemóvel moderno, um tablete ou um computador. Pressuposto falso: a pessoa em cujo nome está assinado o contrato não tem tablete nem telemóvel com acesso à Internet e o computador é de secretária, pelo que não sai de casa. Há uma razão para não haver Meo Go cá em casa, quanto mais Meo Go Multi!!

[Com o Meo Go Multi,] podem estar ligados três equipamentos em simultâneo.

O Meo não sabe quantas pessoas há no meu agregado familiar. Não temos necessidade de ligar três equipamentos simultaneamente. Para que serve o Meo Go Multi, então??

Quando a oferta estiver a terminar, vamos entrar em contacto consigo, para que decida se quer manter ou não o Meo Go Multi ativo.

Então, o Meo não cumpriu as suas obrigações contratuais, que são fornecer acesso telefónico, à Internet e televisão 24 horas por dia, sete dias por semana, e, para me compensar, oferece-me uma demonstração promocional dum produto para o qual não tenho qualquer utilidade (deviam ter desconfiado de que eu não preciso dum «multi», quando nem sequer o «uni» uso), com o objectivo de me vender o dito produto ao fim de seis meses de demonstração??!! É este o conceito de compensação do Meo? Se o meu carro colidir com outro, posso oferecer ao condutor lesado uma cópia impressa de todos os artigos publicados na «Rua da Constituição» [2], em jeito de compensação, em vez de participar ao seguro, que suportará a reparação dos danos que eu causei?

Para mais informações, estamos sempre disponíveis pelo 16200 e na Área de Cliente em meo.pt.

E para vos dizer que não é assim que se tratam os clientes, estão disponíveis??? Será que posso telefonar para o 16200 e ser atendido por um estagiário enviado pelo centro de emprego com a certeza de que será dispensado ao fim de seis meses, para não terem de lhe oferecer um contrato, que obrigaria a empresa a pagar à segurança social — será que posso telefonar e dizer-lhe que a forma de me compensarem pelas deficiências do vosso serviço não é uma carta impessoal a oferecer um serviço de que não necessito, com a esperança de me impingirem mais um dos vossos produtos? Será que, se eu disser isso ao vosso estagiário, ele transmitirá as minhas palavras à senhora Ana Dias, directora do serviço ao cliente, que assina a dita carta, e será que esta perceberá que o mínimo que pode fazer é descontar na factura todos os dias em que não me prestou o serviço que tinha contratado comigo?

Ou será que, pelo contrário, eu vou ficar em casa, à espera do dia em que o cabo provisório que afinal é definitivo escorregue, volte a ficar à mercê dum camião e eu torne a ficar sem telefone, Internet e televisão, tudo duma assentada; e a senhora Ana Dias nem imagina que eu existo, enquanto recebe o seu prémio de desempenho, por ter atingido o objectivo de novas subscrições do serviço Meo Go Multi para o mês de Fevereiro?

Advertisements