Por Carlos Lima (com Juliana Soares e Raquel Moreira)

Carlos: A universidade sénior é uma atitude positiva perante o envelhecimento e faz jus ao lema «aprender até morrer» — e todos sabemos que aprender é viver. Esta aprendizagem estruturada dinamiza a sociedade e a comunidade em torno dum projecto de saberes partilhados. A Juliana e a Raquel vão falar um pouco sobre a natureza da universidade sénior, tomando como exemplo a Universidade Sénior de Oliveira de Azeméis

Juliana: As universidades sénior, universidades de terceira idade ou academias sénior são espaços nos quais se privilegia a integração social dos mais velhos. Nestes espaços, são desenvolvidas diversas actividades, tais como aulas, visitas, oficinas, blogues, revistas e jornais, grupos de música e teatro, voluntariado, entre muitos outros. Ao realizarem estas actividades, os idosos sentem-se mais úteis e, consequentemente, mais activos. Pretendemos, com estas academias, a reinserção dos idosos na vida activa e o desenvolvimento das sua capacidades cognitivas e físicas.

Raquel: Em Portugal, a universidade sénior não tem fins lucrativos, os professores são voluntários e as actividades são mais informais e não garantem certificação. Existem actualmente em Portugal mais de duzentas universidades sénior; no entanto, focamos a nossa atenção na Universidade Sénior de Oliveira de Azeméis. Esta universidade foi inaugurada a 3 de Setembro de 2004 e desenvolve ao longo do ano lectivo diversas actividades, tais como: sessões de psicologia, intituladas: «Psicologia para um vida melhor»; uma desfolhada à moda antiga; uma oficina de «Artes decorativas trabalho Natalício EVA»; convívios; cantares de janeiras; e recepção aos caloiros.

Carlos: Também a Universidade Sénior Rotary de Estarreja está a desenvolver variadas actividades, em articulação com vários grupos socioculturais do concelho. Foi fundada a 5 de Outubro de 2011 e tem sede nas instalações do antigo colégio de Estarreja. O meu muito obrigado à Juliana e à Raquel pela partilha.

Saúde!

Advertisements