Por Satoshi Kanazawa [a]

Num artigo anterior [2], eu discuti o ditado: «não se pode julgar um livro pela capa», considerando-o um dos muito poucos estereótipos que não são empiricamente verdadeiros. Na verdade, praticamente todos os outros estereótipos semelhantes são empiricamente verdadeiros — as pessoas boas têm boa aparência e as pessoas desagradáveis ​​não.

Um estudo de 2006 ilustra perfeitamente esta ideia e mostra que as mulheres conseguem identificar com sucesso que homens seriam bons pais, só ao olharem para eles.

Num artigo publicado na revista «Proceedings of the Royal Society of London — B series», os investigadores James R. Roney, Katherine N. Hanson, Kristina M. Durante e Dario Maestripieri começaram por medir o interesse dos homens em recém-nascidos. Para isso, mostraram dez pares de imagens a 39 estudantes do sexo masculino da Universidade de Chicago. Em cada par, uma era a imagem duma criança e a outra a dum adulto. Para cada par, os homens indicaram qual a imagem que preferiam. Quanto mais fotos de bebés escolheram, maior foi considerado o seu nível de interesse em recém-nascidos.

Em seguida, as imagens destes 39 homens foram mostradas a estudantes do sexo feminino doutro lado do país, na Universidade da Califórnia em Santa Bárbara. 29 mulheres avaliaram, a partir da fotografia de cada homem, quão interessado ​cada um deles estava em bebés. Descobriu-se que as classificações das mulheres se correlacionavam de forma significativamente positiva com o real interesse dos homens em recém-nascidos, medida pela sua preferência por imagens de bebés a imagens de adultos.

Por outras palavras, as mulheres sabem dizer que homens estão interessados ​​em crianças e quais não estão, simplesmente por olharem para eles!

Perguntou-se, então, às mulheres quais os homens que achavam atraentes como companheiros. As mulheres que se tinham manifestado interessadas ​​em relacionamentos de longo prazo acharam os homens que estavam interessados ​​em crianças mais atraentes, enquanto as mulheres que estavam interessadas ​​em relacionamentos de curto prazo consideraram os homens que tinham níveis mais elevados de testosterona mais atraentes. Sim, as mulheres também sabem dizer que homens têm níveis mais elevados de testosterona por simplesmente olharem para eles — mas isso é menos surpreendente, porque há certas características faciais, como as mandíbulas grandes e as sobrancelhas proeminentes, que indicam níveis mais elevados de testosterona.

Esta última descoberta está de acordo com os resultados da investigação anterior em psicologia evolutiva, a qual mostra que as mulheres que estão a ovular (e têm, portanto, maior probabilidade de concepção) acham os homens masculinos, com níveis mais elevados de testosterona, mais atraentes, enquanto as mulheres que não estão a ovular (e, portanto, têm menor probabilidade de concepção) acham os homens com níveis mais baixos de testosterona mais atraentes. Esta mudança na preferência pelo companheiro ao longo das fases do ciclo menstrual ajuda ao sucesso evolutivo geral das mulheres, de se casarem com homens simpáticos e de recursos («pais») e potencialmente os traírem com homens bonitos e masculinos, que têm níveis mais elevados de testosterona («amantes»).

De qualquer forma, o estudo de Roney e colegas é mais uma indicação de que se pode realmente julgar um livro pela capa. Os homens que dariam bons pais têm cara disso e as mulheres sabem identificá-los, só de olhar para eles.


Nota:

a: Este artigo foi traduzido do original [1] pelo editor chefe (n. do T.).

Anúncios