Por Jarrett Walker [a]

Há algum tempo, publiquei [2] alguns dados sobre a cidade de Portland que mostram que, nos últimos doze anos, durante os quais quatro novos segmentos de transporte colectivo ferroviário foram abertos, a percentagem de habitantes que usam o transporte colectivo para chegar ao trabalho não aumentou, de todo.

Vários leitores se questionaram se os dados para toda a região de Portland, por oposição aos dados referentes apenas ao centro da cidade, seriam diferentes. Um leitor também levantou dúvidas sobre a representatividade da amostra do inquérito da cidade de Portland.

Daí, um leitor de Portland, Nathan Banks, vasculhou os Censos, em busca de dados semelhantes. Os seus gráficos mostram os dados dos Censos de 1990 e 2000, além dos dados da American Community Survey (ACS) [3] para os anos de 2000 para cá.

Ele fez gráficos para os três os municípios da área de Portland [4], mas vamos debruçar-nos apenas sobre o gráfico dos concelhos de Multnomah, Washington, e Clackamas — uma aproximação não muito má da área metropolitana de Portland.

A castanho, estão representadas as viagens em automóvel; a verde, as boleias; a vermelho, o transporte colectivo; a amarelo, a caminhada; e a azul, a bicicleta.

Os dados da ACS utilizados a aprtir de 2000 são um pouco menos fiáveis do que os dos Censos, pelo que eu levaria as oscilações anuais das linhas depois de 2000 como indicativas da margem de erro aproximada, visto que os modos de transporte certamente não variaram tanto. Ainda assim, o valor da ACS de 2002 é suficientemente próximo do dos Censos de 2000 para dar alguma credibilidade ao resto de cada linha. Além do mais, o mapa do leitor Nathan para o Condado de Multnomah, que é basicamente a cidade de Portland, corresponde inteiramente aos dados da cidade de Portland [2], de modo que as duas fontes de dados independentes têm de ser tomadas como uma confirmação de mesma mensagem. Em resumo:

  • A proporção de pessoas que usa o transporte colectivo não está a aumentar, pelo menos para viagens de e para o trabalho. Desde pelo menos 2000 (e desde 1996, segundo os dados da cidade de Portland [2]) o modo de transporte colectivo manteve-se na faixa dos 10–15 %, em Portland, e na dos 7–9 %, para toda a região de Portland. Isso aconteceu, apesar das aberturas do eléctrico de Portland, da linha vermelha e das expansões da linha amarela durante esse período (a linha verde foi inaugurado em 2009, tarde demais para se analisar aqui).
  • As deslocações a pé para o trabalho também não estão a aumentar muito, apesar dum grande afluxo de pessoas para o centro da cidade, uma área de alta densidade, que deveria permitir que alguns deles fossem a pé para o trabalho. Seria de esperar que as proporção de deslocações a pé se mantivesse inalterada em toda a região, mas o mesmo sucede relativamente aos dados do condado de Multnomah e de Portland.
  • O único modo em crescimento é o ciclismo, um pouco nos municípios exteriores e substancialmente no condado de Multnomah, de 1 % em 1990 para 5 % em 2008. A cidade de Portland estimar alguns pontos a mais, o que se explica porque o condado de Multnomah inclui Portland e alguns subúrbios a Leste e Noroeste.

Bravo para os defensores de ciclismo, que fizeram grandes progressos durante este período.

Contudo, considerando todo o investimento em transporte colectivo, é difícil sentirmo-nos bem com estes números do transporte colectivo. Sim, esta é apenas a deslocação para o trabalho, o que não é a medida total do sistema de transportes duma cidade. E parece que o eléctrico, pelo menos, está a atrair passageiros felizes, talvez a fazer recados e compras e alunos a caminho da escola, em vez de deslocações para o trabalho.

Mas eu não tenho a certeza de como contar uma história feliz com estes dados, na perspectiva do transporte colectivo, e gostaria de receber os seus pensamentos. Portland estará no caminho errado? Ou está somente tentando fazer outra coisa, algo mais importante, que esses dados não medem?


Nota:

a: Este artigo foi traduzido do original [1] pelo editor chefe (n. do T.).

Advertisements