Por Gustavo Martins-Coelho e Sofia Silva


Se uma imagem vale mais do que mil palavras [1], então um vídeo vale mais do que mil imagens? Neste caso, um vídeo vale 734 imagens, que é o número de fotogramas que compõem o vídeo abaixo; e o que representam esses fotogramas?

O vídeo abaixo pega na ideia do último artigo que publiquei [2] no «Muro das Lamentações» [3], em que relatava a experiência que fiz, na qual dois automobilistas partem do mesmo sítio, um deles a circular durante todo o percurso dentro dos limites de velocidade e o outro excedendo-os em 20 km/h, e chegam à meta, após um percurso de 31,8 km, com três minutos de diferença — o vídeo abaixo pega nessa experiência e generaliza-a.

O leitor imagine uma avenida com dez quilómetros de extensão. Imagine que essa avenida tem um cruzamento com semáforos a cada mil metros. Imagine então dois carros, que partem ao mesmo tempo dum dos extremos da avenida. Imagine ainda que não há trânsito e que um dos carros circula a 70 km/ e o outro a 50 km/h. Qual chega primeiro ao outro extremo da avenida?

Para saber a resposta, veja então o vídeo abaixo, que só dura trinta segundos (a toda a largura do ecrã, de preferência). O carro verde é o que circula a 70 km/h e o amarelo é o que circula a 50 km/h.

Se o leitor respondeu que o carro verde chega primeiro ao fim da avenida, já vê que se enganou: o carro verde demora 12m 02s a percorrer os dez quilómetros da avenida e o amarelo 12m 05s. Vá, em rigor, não se enganou: o carro verde chega realmente primeiro — mas três segundos antes não é lá grande coisa, pois não? Em dez quilómetros, consegue ganhar três segundos a um carro que circula 20 km/h mais devagar! A razão é simples e bem visível no vídeo: o carro verde passa 2m 21s parado nos vários semáforos que vão ficando vermelhos, enquanto o carro amarelo recupera a distância perdida entre semáforos. O carro verde chega efectivamente a ganhar 270 m ao carro amarelo, entre semáforos. Mas essa distância perde-se, devido às paragens nos semáforos.

Esta situação acontece diariamente, nas nossas ruas e avenidas; e é por isso que não vale a pena acelerar. Gasta-se mais combustível, aumenta-se o risco de colisão ou de atropelamento com feridos graves ou mesmo morte, e chega-se praticamente ao mesmo tempo.

Não acelere. A sério, não vale a pena!

Anúncios