Por Gustavo Martins-Coelho


STCP — Sociedade de Transportes Colectivos do Porto — ou STCP — Somos Transportados Como Porcos? Esta semana, vinha no autocarro da STCP e senti-me gado. O autocarro acelerava desenfreadamente, para travar abruptamente logo de seguida, e os passageiros eram empurrados para a frente e para trás, ao sabor da condução agressiva do motorista.

Infelizmente, não se tratava dum motorista particularmente agressivo, ou particularmente aselha, ou de qualquer forma digno de destaque, comparativamente aos seus colegas: a maioria dos motoristas da STCP conduz assim. Mas a culpa não é deles: é dos horários impossíveis que a empresa lhes impõe e da ilusão de que, conduzindo à bruta, chegam mais depressa [1].

No quadro abaixo, a primeira coluna identifica a linha da STCP em análise. A segunda indica a extensão da linha, em quilómetros. A terceira indica o tempo mínimo de viagem que o horário oficial prevê para aquela linha, em minutos; e a quarta o tempo máximo. A quinta indica quantas paragens intermédias a linha tem; e a sexta quantos minutos o autocarro passará imobilizado nessas paragens, a tomar e largar passageiros (assumi um valor de cinco a dez segundos por paragem, que espero que pareça ao leitor tão aceitável quanto pareceu a mim, enquanto redigia este texto). A sétima coluna indica a velocidade média que o autocarro terá de atingir entre paragens, para conseguir cumprir o tempo de viagem mais lento, em quilómetros por hora; e a oitava indica a velocidade média entre paragens, para cumprir o tempo de viagem mais rápido. A nona coluna indica a duração da mesma viagem de carro, sem trânsito (segundo o Google Maps), em minutos; e a décima a velocidade média de carro, sem trânsito, em quilómetros por hora. A linha 903 foi excluída da análise, porque a página da STCP sempre encrava, quando tentamos aceder à sua informação. Intriga-me, também, por que não há uma linha 802… Mas, fora isto, eis o quadro:

L

E Tmin Tmax PI TLP VMmin VMmax TC

VMC

200 10 27 42 26 2–4 16 23 22 26
201 10 28 38 24 2–4 17 22 26 22
202 11 38 40 28 2–4 18 19 27 24
203 11 33 43 30 3–5 18 22 30 23
204 14 38 53 37 3–6 18 24 37 23
205 19 39 60 49 4–8 16 24 30 28
206 11 37 37 35 6 22 22 31 22
207 12 35 53 34 3–6 15 21 33 21
208 12 35 43 29 3–5 18 21 30 23
209 7 30 30 19 3 16 16 20 22
300 14 45 68 45 4–8 14 21 39 22
301 15 53 70 44 4–7 14 18 41 22
302 9 32 54 25 2–4 10 17 26 20
303 10 35 60 27 2–5 10 18 27 22
304 6 17 29 19 2–3 14 23 16 23
305 9 28 35 21 2–4 16 20 22 23
400 6 19 26 18 2–3 16 21 15 24
401 8 19 33 23 2–4 16 27 21 22
402 8 19 28 22 2–4 20 28 24 20
500 11 23 43 34 3–6 18 34 25 27
501 12 40 55 34 3–6 15 20 33 23
502 10 25 45 29 2–5 16 28 25 25
503 15 25 50 41 3–7 21 41 37 24
504 12 33 50 32 3–5 17 24 31 24
505 20 39 53 49 4–8 26 34 40 30
506 14 35 48 42 4–7 21 27 36 24
507 20 43 63 46 4–8 22 31 41 30
508 19 45 58 50 4–8 23 27 43 26
600 14 37 62 42 4–7 15 25 29 28
601 21 35 50 36 3–6 29 40 33 39
602 18 40 62 53 4–9 20 31 37 29
603 20 46 66 58 5–9 21 29 43 28
604 19 43 56 51 4–9 24 29 41 28
700 18 40 52 49 4–8 24 30 35 30
701 15 38 64 51 4–9 17 27 33 28
702 11 25 49 35 3–6 15 29 23 28
703 12 35 48 39 3–7 18 23 30 25
704 19 47 77 50 4–8 17 27 44 26
705 21 48 58 58 5–10 26 29 45 28
706 16 38 45 40 3–7 25 28 32 30
707 16 39 44 41 3–7 26 27 33 29
800 12 30 41 37 3–6 20 26 26 27
801 12 35 48 38 3–6 18 23 26 28
803 15 35 53 40 3–7 19 27 34 26
804 12 30 40 34 3–6 20 26 20 35
805 10 28 35 29 2–5 20 23 26 23
806 9 23 35 26 2–4 17 25 19 28
900 7 23 23 19 2–3 20 21 20 21
901 14 36 50 45 4–8 19 25 35 23
902 12 28 35 27 2–5 24 28 28 26
903 ? ? ? ? ? ? ? ? ?
904 7 25 25 18 2–3 18 20 17 25
905 9 23 37 24 2–4 16 25 22 24
906 16 38 53 51 4–9 21 28 39 24
907 15 35 40 39 3–7 27 29 34 27
ZR 7 25 25 21 2–4 19 20 15 29
ZM 4 15 15 10 1–2 18 19 12 22
ZF 5 13 13 13 1–2 24 26 9 31

Este quadro revela inequivocamente a irrazoabilidade do departamento responsável por fazer os horários na STCP, que espera que os autocarros circulem a velocidades loucas. No caso das linhas 201, 206, 207, 304, 504, 700 e 805, na versão «rápida» do horário, o autocarro tem de circular, entre paragens, sensivelmente à mesma velocidade dum carro sem trânsito, para conseguir chegar ao fim da linha à hora prevista. No caso das linhas 204, 401, 402, 500, 502, 503, 505, 506, 507, 508, 601, 602, 603, 604, 702, 704, 705, 803, 901, 902, 905 e 906, a STCP chega a acreditar que os seus autocarros podem mover-se, entre paragens, mais depressa do que um carro que circula no mesmo percurso sem trânsito à sua frente! Já a linha 900 é um caso à parte: durante todo o dia, demora sempre o mesmo tempo. Se acreditarmos piamente que a minha estimativa de dez segundos de tempo médio de paragem para tomada e largada de passageiros durante as horas de maior procura e de cinco segundos nas horas de menor procura é verdadeira, resulta que, como a duração total da viagem é sempre a mesma, independentemente da hora, o autocarro vai ter de circular mais depressa entre paragens, à hora de ponta, para compensar o maior tempo que passa a tomar e largar passageiros. Ou seja, se o meu pressuposto for verdadeiro, o 900 tem de circular à mesma velocidade dum carro sem trânsito quando transporta mais passageiros. Vamos dar-lhe o benefício da dúvida; talvez a procura seja mais ou menos constante ao longo do dia. Mas as duas melhores linhas, as duas cerejas no topo dum bolo já de si extremamente doce, são o 402 e o 907… Os horários destas duas linhas vão ao extremo de afirmar que um autocarro, na versão mais lenta do seu horário (ou seja, aquela em que apanha mais trânsito no caminho), consegue circular, entre paragens, aproximadamente à velocidade média dum carro que faz o mesmo percurso a uma hora em que não tem trânsito a obstruir-lhe a passagem!! Sou só eu que acho isto totalmente irrealista???

Anúncios