Por João Roncha

Um filme de Walter Hill, que muito me agradou assistir e com uma excelente actuação do icónico Mickey Rourke na pele de Johnny Handsome. Película produzida nos EUA, corria o ano de 1989, e com cinematografia de John Godey. A banda sonora, a cargo de Ry Cooder, é simplesmente genial, brutal, das melhores — para este tipo de thrillers — que, na minha opinião, alguma vez foram montadas. A trama gira em torno de um bandido que, de cabeça perdida, fracassa numa tentativa de assalto e acaba na prisão, onde um cirurgião se comove com a sua história e lhe dá uma nova oportunidade: é feito um molde da cara de Johnny — na altura, uma figura bastante apresentável — de forma a que este pudesse alterar a sua identidade e actividade. Exponencial e sequencialmente, o guião apresenta-nos momentos de alguma violência, tema geral que emerge e está presente em grande parte dos filmes de Hollywood da década de 1980 (pessimismos à parte, não podemos escapar a uma crítica muito boa). Uma história que nos envolve e uma grande interpretação de um grande actor, bem acompanhado no papel coadjuvante desempenhado por Elizabeth McGovern.

Advertisements